Photo road travel

Um ano de Vida na Estrada

O Tempo é Relativo

Hoje é um dia muito especial aqui pra Carretera.
Dia que completamos 365 dias de vida nômade pelas Américas. 8.760 horas, ou melhor: 525.600 minutos. Aqui, nesse mundo meio paralelo que vivemos, acredito que medir o tempo em minutos acaba sendo mais próximo da nossa realidade. Porque os minutos contém neles a dimensão maluca do tempo que nós temos experimentado aqui e assim fica mais fácil de tentar explicar a nossa sensação. Eles tem a habilidade de mostrar mais facilmente a relatividade. São muitos e ao mesmo tempo são tão curtos! Voam e se demoram. E assim tem sido a nossa experiência com o tempo… O dia demora a passar tantas vezes, mas quando olhamos pra trás, parece que recém saímos da casa dos nossos amigos queridos em San Clemente/CA pra iniciar essa jornada. E que jornada!!!
É difícil explicar os aprendizados, os desafios, eleger melhores momentos ou lugares… Tudo parece vir tão misturado! Para dar uma explanada da nossa experiência, o plano inicial ao sairmos do Brasil era viajar 1 ano, da Califórnia a Patagônia. E só. (E já parecia muito). E de 1 ano, já estamos a 1 ano e 5 meses fora da nossa terra natal, e nem cruzamos pra América do Sul ainda, ou seja, falta um pouco mais da metade do caminho, se o medirmos em Km. Só que acreditem, uma road trip não se mede em Km. O nosso tempo não está vinculado a distância, mas ao ‘desfrutar’ que cada local nos oferece. E isso envolve tantos aspectos sutis… pessoas, previsão do tempo, custo, adaptação, humor, paisagem, camping, muriçocas!…

Vista pro mar no Panamá.

 

Pneu furado no deserto no México.

Até agora nossa trip se resume a 5 meses nos EUA, 5 meses no México, e vamos fechar 5 meses de América Central (pura coincidência esses números, mas eu adorei esse quê cabalístico) e ainda tivemos 2 meses no Canadá como um Plus, tipo férias de inverno, pra não deixar nenhum país na costa do Pacífico de fora das nossas pegadas!E vá pegadas nesse intervalo! E vá experiências!

O início pela Baja Califórnia
No deserto com os Cactus Gigantes no México.
Jantar a luz de lanterna na Baja Califórnia.
Sala de estar na Baja California
Arrumando a casa na Costa Rica
Aguardando a ceia de Ano Novo no Panama
Nossa vidinha ao ar livre #gooutside
Recebendo visita no Mexico
Lu & Flora
Em busca do sol no Canada

Expandindo Nosso Currículo Parte I – De fora pra dentro.

Lú desenvolveu primorosamente sua arte e técnica fotográfica, leu seu recorde de livros no ano, aprendeu a abandonar um livro ruim (acreditem, abandonar algo que começou é muuuito difícil pra ele, mesmo quando é ruim), surfou ondas incríveis e ondas nem tanto assim, se rendeu ao pranchão de isopor azul pra se divertir nas marolinhas, teve sua resistência às águas geladas testadas ao limite, realizou sonhos de criança ao sair desbravando florestas com amigos e sua prancha debaixo do braço atrás de ondas, conheceu alguns ‘picos secretos’ de ondas por onde passamos, recebeu visita de um de seus melhores amigos (e duas vezes!!!), fez milhares de novos amigos, pescou peixe para nosso jantar, descobriu ondas onde nem imaginava, surfou sozinho ondas lindas, fez churrasco gaúcho no Canadá, escalou vulcão a contra gosto, foi borracheiro, mecânico, ding repair, cozinheiro, conselheiro, fotógrafo, e bon vivant!! Viveu de pé descalço quase 100% desse ano, se conectou com a natureza, viu céus de estrelas e muitas estrelas cadentes, muitos amanheceres e muitos pores do sol dentro d`água, se deixou influenciar pelo tempo do sol e clima local mais que pela previsão de swell, e desenvolveu bravamente a habilidade de mover nossa barraca em tempestades repentinas para um lugar seguro – as vezes comigo dentro – ou de dormir no carro mesmo muito quente ou de última hora, sentadinhos e desconfortáveis no banco da frente.

Pescando o jantar no México
Fotógrafo de Yoga na Costa Rica
Se divertindo até nas marolinhas com o pranchão azul!No Panamá.
Master chef da Carretera
Turistando em Victoria, Canada
Mecânico no Panamá!
Peleia com o Alexa no México!

Expandindo Nosso Currículo Parte II – De dentro pra fora.

Eu aprendi a falar inglês relativamente muito bem, melhorei meu espanhol significativamente, desenvolvi a habilidade de ser fotógrafa de surf, aprendi a acampar e fazer fogo com quase nada de recurso, li muitos livros – inclusive em inglês! Rá! – estou aprendendo a não abandonar projetos por causa das circunstâncias ao redor (acreditem, pra mim isso é o mais difícil), virei expert em inventar jantares com ‘o que tem’, voltei a comer pão branco, frituras e a ser muito menos saudável (não tive muita opção..), fiz curso de formação para professora de yoga na Costa Rica e negociei o pagamento em troca de um projeto de arquitetura, aprendi a vender – minhas roupas e meu conhecimento – me aprofundei na prática e filosofia Yoga e minha alma encontrou seu lugar! Surfei ondas pequeninas sem quase ninguém no mar, brinquei com o pranchão azul nas espumas das ondas, comi lagosta, pato e bisão (nem sabia o que era) pela primeira vez, e também vi nevar pela primeira vez, vivi 80% do ano de pé descalso ou chinelo e roupas de banho, vi diversos animais selvagens livres e belos em seus habitats naturais, desfrutei do nascer do sol e das quietudes da manhã, me adaptei ao horário solar, as mudanças de tempo, as dificuldades da chuva forte e dos ventos das tempestades tropicais, aprendi mais sobre mim do que poderia até desejar! Senti saudade profunda de ter um lar e meu cantinho, fiquei triste e me deixei levar por essa tristeza, quaaase desisti de seguir viagem por isso e ansiedades futuras e aprendi a buscar a paz e equilíbrio dentro de mim, a dividir minhas frustrações com o Lú e receber seu colo e apoio, aprendi a abrir meu coração para novas amizades que levarei pra vida, superei timidez, medos, ansiedade e uma leve depressão, aprendi a viver com muito pouco, sem paredes, sem teto, sem privacidade – a não precisar de um banheiro e a dar muito valor a um; virei cabeleireira, manicure, depiladora, cozinheira, fotografa, surfista de marola e professora! E principalmente, parei de tentar preencher o tempo e aprendi que preciso é estar presente e desfrutá-lo.

E virei professora de Yoga na Costa Rica!
Turistando no México.
As belezas do Canada…
Ano Novo no Panamá! <3 <3 <3
#Vanlife

 

 

Aprendendo a ser Mutantes

Ah, foram tantas coisas que a vida na estrada nos apresentou e presenteou nesses 525.600 minutos, nesse maravilhoso 2017 de alma exposta às experiências, de uma vida a flor da pele!!Uma das que posso listar como aprendizado maior para nós dois é acreditar nas nossas escolhas, no universo, no momento seguinte, na gente. Acreditar que o que vem é o melhor pra nós. Estar aberto para o que a vida tem pra nos mostrar. A cada decisão, da menor a maior, quando a gente se abriu para o que fosse vir foi sempre melhor que qualquer expectativa! Melhores lugares, pessoas, amizades, experiências. Não se prender a planejamentos ou lugares ‘obrigatórios’ a conhecer, não ficar tão restrito ao orçamento ou até a uma previsão de retorno ao Brasil, mas ser maleável, adaptável, mutantes! Estar aberto para o que a vida apresentar implica mudanças de rotas, de planos, de ideias! Implica ser menos cabeça dura, menos sério, menos rígido. E por mais que uma vida como a que estamos levando seja sem rotina e pareça super livre, somos simples humanos, os dois já bem adultos e cheios de manias, ideias estabelecidas e comportamentos enraizados que muitas vezes só nos atrapalham. Deixar ir embora alguns desses comportamentos e ideias só nos fez ganhar nessa trajetória.. Tendo nosso reveillon sido especialíssimo devido a esse aprendizado: quase fomos embora de um lugar muito bacana para conhecer as montanhas e no fim passar o Ano novo sós, mas voltamos depois de 1h de estrada pra passar a virada do ano com amigos queridos a beira mar!! Se abrir faz toda diferença!

No topo de um Vulcão na Guatemala
Acampando na Nicarágua
Fugindo da chuva em El Salvador
O único mês que ficamos dentro do orçamento! No México.
vida boa no México
aproveitando a quietude das manhãs no Panamá
Pausa pro lanche! Costa Rica.
Alô alô Panamá!!

 

Dentro e Fora

Essa vida na estrada talvez tenha sido uma jornada mais profunda, psicológica pra mim, e mais realizadora de sonhos pro Lú, mas o melhor tá sendo a união desses resultados, o apoio que cada um dá ao outro nessas pequenas realizações… O Lú com seu pé no chão, me mostrando minhas forças que muitas vezes não dei valor e seu apoio a cada insight dessa minha busca interior, e eu com minha cabeça e coração nos céus, mostrando pro Lú a sensibilidade de cada momento e de cada ser, e o apoiando sempre na sua busca de novas aventuras.

“Dwell as near as possible to the channel in which your life flows”

“Viva o mais próximo possível do canal pelo qual a sua vida flui”

Henry David Thoreau


Amanhecer no Panamá
O maior mercado de rua da América Central, na Guatemala
Contemplando no Canadá
E foram muitos… esse no Panamá, e bem no aniversário da Gisa!

    17 Responses

  1. Sensacional!
    É emocionante e admirável a coragem , a união de vcs dentro das diversas dificuldades que devem aparecer, a paciência , a persistência … enfim é uma lição de vida , mesmo para aqueles que nunca farão e viverão esse tipo de viagem mas podem usufruir ao menos um pouco através dos posts e levar além de lindas fotos algum aprendizado tbm!
    Beijos pra vcs e boas novas experiências

    1. Binho! Ficamos muito felizes de ler tuas palavras! Sabemos que esse tipo de viagem não é pra qualquer um. Por vezes achamos que não era pra gente também. Diariamente temos de tomar decisões e resolver “situações”, nem sempre é fácil, nem sempre é prazeroso. Não estamos de férias. Mas hoje, se tivéssemos que escolher, sem dúvida faríamos tudo de novo! A Ca te manda um beijão e diz que ficou muito feliz com tuas palavras!! Abraço!

  2. Caína, adorei o teu relato ! Tua energia chegou até a mim me contando que é possível ser feliz. Sem receita, sem caminhos traçados, simplesmente sendo a gente mesmo… Teu relato é forte, um hino à vida e às descobertas. Continua escrevendo com esse jeito expontâneo e verdadeiro. Faz muito bem para quem lê… Um abração para vocês. Um beijo no Lu.

    1. Maria Elisa querida!!! Tuas palavras que foram fortes, com tanto carinho e elogios!! Me fez reler o post para tentar ver tudo que descreveste!! Obrigada mesmo, fiquei super feliz e me senti lisonjeada de receber esse retorno tão carinhoso!! Vou procurar seguir assim, pode deixar!! 😀 Um grande beijo!!!E o Lu ta aqui te mandando outro!!

  3. É emocionante a jornada de vcs! Faz a gente refletir e dar a certeza do que se leva dessa vida são as experiências, são os momentos vividos. É o ser e não o ter. Imagino o quanto vcs mudaram e o quanto estão orgulhosos de si. Eu fiquei muito orgulhosa de vcs! Beijão!

    1. É verdade, mudamos muito! Ficamos muito felizes de orgulhar quem a gente gosta! Obrigado pelas palavras e o carinho. Um beijo grande querida!!!

  4. Que relato lindo…quanta vida vivida neste ano! Gostoso demais ler, reler e aprender com a experiência de vocês…beijo grande

    1. Oi mami querida!!! Muito obrigada pelo carinho!! Tá sendo um ano e tanto!!! 😀 Te amo!! Beijo com muita saudade!!

  5. Minha amiga/irmã de alma!! Quanta vida tem esta historia! Desejo apenas que vcs continuem trilhando o caminho de seus corações pois é isto que tem feito a diferença…É muito bom poder acompanhar a jornada nômade de vcs, deixa aquele gostinho de “eu também quero” kkk. Sei o quanto tem se esforçado para aprender com todos os desafios e o quanto tua linda alma sorri e agradece por cada instante desfrutado! Segue assim, em paz e com muito amor no coração. E voltem logo pois quero minha hermana pertinho hahahaha…adorei tudo! Tá show!! Feliz 2018 pra Carretera. Bjos para os dois 😘😘

    1. Óun Daniii!!!To aqui com meu coração inchado de alegria com tuas palavras, com teu amor e o carinho de vir aqui e deixar esse depoimento tão bonito, delicado e tão cheio de apoio e incentivo!! Obrigada!! Te ter ao meu ‘lado’ (virtualmente, hehehe) nessa jornada fez toda a diferença!!! Te amo muito muito minha irmã!!! Beijo no teu coração <3

  6. Oi Lu e Caína, lendo os relatos pensei em filmes e livros que li, no quanto essas experiências são transformadoras… Esta fantástica vivência de vocês muito me inspira a seguir sonhando. Que vocês sigam desfrutando e colhendo boas coisas pelo caminho até casa. Acredito que na vida há um filtro natural e, não é à toa que essa enegia positiva tem retornado. É como se houvesse uma troca, na qual cada um de vocês, ao seu jeito e maneira, por onde passam entregasse um pouco de si. Muita força, beijos e abraços!

    1. Oi Marcus! Que legal! Obrigado pela força, recebida junto com teu abraço e carinho! Ficamos muito feliz em conseguir inspirar pessoas, ainda mais as que gostamos! Abração!! Lu & Cá

  7. Querida Caina!! Amei o relato!! Estou acompanhando vcs pelo insta!!! Noooossaa!!!Admiro muito a coragem, desapego e espirito de aventura de vcs!!! Realmente o que compensa é a satisfação dos momentos, lugares e pessoas. Ainda que tenhamos que suportar algumas larvas ou muriçocas.
    Amei muitas coisas que escrevestes, mas calou – ” E principalmente, parei de tentar preencher o tempo e aprendi que preciso é estar presente e desfrutá-lo.” Penso muito nisso…Se abrir pra vida, deixá-la acontecer. Difícil…
    Ha,ha,ha,ha!! Queria muito ver essa mudança de barraca com vc dentro!!
    Queridos!!! Lindas fotos!!!Parabéns pela empreitada!! Muita luz pra vcs!! Que essa estrada continue sendo essa experiencia maravilhosa e professora de vidas!!! Beijo grande!!

    1. Fabi amada!!! Que gostosura receber essa mensagemmm!!! Obrigada por todo carinho!!!
      Realmente, não é fácil estar presente… A gente ta tão adaptado a uma vida preenchida e focada em metas e conquistas e no momento seguinte, que desfrutar do tempo, da abundancia dele, e não se ansiar acaba não sendo simples… Não importa aonde estamos. Mas a gente aprende! Pisar no freio e se dar tempo, e desfrutá-lo é realmente transformador. Eu primeiro me perturbei afú, hoje já estou muito mais adaptada, mas mesmo assim as vezes ainda me pego ansiosa com o futuro! Vale sempre tentar, igual meditação, a tentativa já é um meditar! 😀 Te adoro!! Obrigada mais uma vez pelo carinho!!!E que assim seja!! Beijãooo

  8. Nossa Cá, que maravilha ler isto, te ouvi contando estas histórias!!!! Imagino tudo isto que contou e sei que foi muito sincero…. Parabéns pela coragem e por este coração enorme e aberto para vida!!!! Contínuas linda por dentro e desejo que tu continue seguindo a essência das coisas!!!! Beijo e aproveita!!!! 😘😘😘

    1. Claudinhaaaa!!! Que gostoso receber essa mensagem tua!! Tem sido tudo muito incrível, uma experiência e tanto que eu só posso agradecer! Obrigada pelas doces palavras e pelo carinho!!! Um beijo imenso!! <3

  9. Muito lindo teu texto, Caína! Muito legal saber das experiências, do aprendizado, das roubadas (sem elas, ficaria até em graça, não é? Kkkkk) Acompanho a trip desde o início e fico ansioso por cada post. Parece que estou aí com vcs. Bjs pra ti e abraços pro Luciano!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *