Peru road travel

Laguna Parón e a montanha da Paramount

Rumo à Cordilheira

Depois de mais de 2 meses surfando pelo norte do Peru chegou a hora de darmos um até logo ao Pacífico e nos dirigirmos às montanhas. Seguimos ao leste para a Cordilheira dos Andes. Pegamos a estrada que vai de Chimbote até a cidade de Caraz, serpenteando ao lado de um rio até que chegamos ao Cañon del Pato, onde a estrada fica super estreita, com uma pista que só passa um carro de cada vez, construída sobre o que algum dia foi uma estrada de ferro e onde tivemos de passar por mais de 30 túneis! Nos túneis, também só passa um carro por vez. Se vier alguém no sentido oposto, um dos dois tem de voltar e arrumar um espaço na pista estreita. A sorte que o fluxo de veículos por essa estrada é bem pequeno!!!

Nos despedindo do Pacífico em Huanchaco
Making of!

A estrada vai ficando cada vez mais estreita…
Passando pela hidroelétrica antes de mais um túnel

Caraz

Na cidade de Caraz, aos 2800 metros acima do nível do mar, encontramos um camping muito legal aos pés da Cordillera Blanca. Nosso plano era passar uma noite, mas como planos são feitos para serem modificados, acabamos passando algumas… Ali conhecemos a Verônica e o Djey. Um casal de brasileiros que chegaram até aqui pedalando! O mais incrível é que a bicicleta da Verônica é feita de bambu! Isso mesmo, Bike de Bambu! e para completar, bike de bambu eles mesmo fizeram! Demais!!!Confiram o projeto deles aqui!

dando uma banda na bike de bambú da Verônica
Bike de bambu

Laguna Parón

Caraz fica a 35 km da Laguna Parón, que está no parque Huascaran. Esses 35 km são percorridos em 2 horas. Em uma estrada sem calçamento e pra variar um pouquinho, bem estreita, onde só passa um carro. Cada vez que um outro veículo vem no sentido contrário é preciso encontrar um cantinho entre o paredão de pedra e o abismo para que os dois carros sigam seus caminhos. A estrada nos leva até o refúgio onde se encontra o Lago de águas azul turquesa a 4200 metros acima do nível do mar. Como se não fosse suficiente um lago com águas tão lindas ele é cercado por picos nevados, entre eles o pico Artesonraju que é mais conhecido como a montanha da Paramount Pictures. Isso mesmo! Eu nem imaginava que tal ícone do cinema fosse inspirado em uma montanha peruana.

Foi um dos locais mais incríveis que acampamos ao longo desses quase dois anos que estamos na estrada! Tivemos o privilégio de ver a lua cheia nascer sobre as montanhas e a laguna nas duas noites que passamos no parque, iluminando toda a encosta e as águas, transformando ainda mais aquela paisagem em um espetáculo…

subindo a caminho da Laguna
wow!
selfie à beira da Laguna

Hiking até a Laguna Artesoncocha

Depois de umas 3 horas de caminhada chegamos até a Laguna Artesoncocha. Começamos costeando a Laguna Parón com uma trilha bem demarcada e sem maiores dificuldades. Ao chegar ao outro lado encontramos vários rios que desciam dos glaciares pra a laguna, nesse outro lado a trilha não era demarcada e tivemos dificuldade em encontrar um caminho para cruzar esses rios. Em uma de nossas tentativas, a Caína me deu sua mão para ajudar a me equilibrar sobre uma das pedras, que muitas vezes eram soltas e muito escorregadias, ali, protagonizamos uma cena digna de um filme dos Três Patetas: não, não caímos no rio! mas enquanto eu segurava na mão dela, pouco antes de dar um impulso para pular para a outra pedra, acabei puxando a luva da sua mão, que caiu no rio e foi levada pela forte correnteza. Em uma fração de segundos a luva foi levada rio abaixo e eu saí correndo tentando pega-la… Foi inútil. Até tive uma chance, quando em um redemoinho ao lado de uma pedra a luva parou por alguns segundos e eu quase consegui alcançá-la! O que me deixou ainda mais chateado. A Cá adorava sua luva e na Cordilheira dos Andes ela se torna um artigo indispensável! Seguimos nossa caminhada… A Cá com apenas uma luva. Depois de chegar ao nosso destino, voltamos seguindo as margens dos rios procurando a tal da luva… Descemos até a beira da Laguna Parón sem nada encontrar. Eu não tinha muita esperança, só um pouco de sentimento de culpa de ter puxado a luva da mão dela. Na praia formada a beira da laguna mais uma vez não conseguimos encontrar um lugar para cruzar o rio e tivemos de voltar por um bom pedaço até encontrar um ponto onde o rio pudesse ser cruzado.

encontrou a Caína na foto??

parada pro lanche
mais uma laguna a beira de um glacial

sem luva…
Que lugar lindo!

 

Foram 3 dias no alto da montanha, dormimos no carro e tiramos muitas fotos! As vezes me pegava tirando mais uma vez a mesma foto de tão lindo que é esse lugar! Voltamos para nosso camping na pequena cidade de Caraz e eu me encontro com uma missão: encontrar a luva mais bonita para a Caína para me redimir de minha patetice.

 

Hora de fazer o almoço!
pouco antes de anoitecer



Agora a janta
Lago Parón sob a Lua cheia
Frio na Cordilheira Blanca
as vezes a gente dorme na Maria

hora de descer a montanha…

 

    2 Responses

  1. Lugares lindíssimos. Adorei! Muito sol 🌞! Bjs

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *