Canada surf Surf Canada travel

Surf no Canadá

Surf no Canadá? Sim, tem muita onda na costa oeste durante os meses de outubro a março quando chegam as ondulações de inverno! A agua é fria, muito fria!!! Levei meu long 4/3 mm com touca e os canadenses riram dizendo que era roupa para o verão! Comprei um par de botas (que parecem de astronauta) e bora atrás das ondas. Meus parceiros de surf iam com suas roupas 5/4 ou 6/5 e eu acompanhava com o que eu tinha!
No Canadá conheci o João, brasileiro que mora por lá e é sempre super pilhado para ir atrás do surf, não importando a temperatura na água nem fora! Ele me emprestou prancha, quilhas, leash e até um par de luvas da sua namorada! Se não fosse por ele eu não teria surfado o quanto surfei em minha temporada canadense! Então aqui vai, mais uma vez um salve e muito obrigado João!

surf no Canadá

 

 

As Ondas

As ondas são muito boas no Canadá! Alguns fundos de pedra próximo a Victoria e vários beach breaks na surf town de Tofino um pouco mais ao norte.

Direitas geladas…



A Cultura do Surf

Nunca imaginei que haveria tanta gente disposta a enfrentar o frio e se aventurar nas águas geladas do Canadá! Nos dias com ondas era certo que muita gente ia ir atrás de uma ondinha pra chamar de sua. O crowd pode ser intenso, principalmente nos picos mais acessíveis. Em Tofino, é impressionante o número de pessoas na água. Depois de uma noite de neve intensa, para minha surpresa, haviam dezenas de pessoas aprendendo a surfar, outras dezenas surfando com alguns bons surfistas na água aproveitando o swell de final de outono.

Fogueira pra esquentar um pouco!
Acampar é uma ótima opção.

Nascer do dia em Tofino. Tá frio!
um dia de sol ajuda…

O Frio

Depois de quase duas horas na água gelada eu tive de sair, com o rosto inchado e os dedos quase congelando. A Cá ficou apavorada quando viu minhas mãos rochas ao tirar as luvas… A vontade era só de tirar a roupa molhada (e gelada) e me aquecer. O frio é intenso!

com chuva fica ainda mais complicado!

 

A Experiência

As ondas definitivamente valem a pena, sem falar que as praias são lindas! Cercadas por florestas! Mas é floresta mesmo! Com animais selvagens: são lobos, ursos, esquilos, águias, veados e salmões que correm rio a cima para desovar!

Cuidado com os ursos!
Cuidado com os lobos!
Floresta canadense!

Minha parceira!

The Search

Saímos em busca de um secret spot. O João disse que sabia mais ou menos onde era (mais ou menos?!?!). Seguimos o Google Maps no celular, deixamos o carro na beira da estrada no ponto mais próximo ao que parecia ser “a onda”. “É aqui, é só descer pela floresta!” Começamos por procurar uma trilha na densa mata, e nada. Tivemos que encontrar uma forma de chegar até a praia. Foram mais de 2 horas abrindo caminho no mato, com pranchas em baixo do braço e ao longo de uma descida que beirava ao precipício. Em um momento chegamos a uma cachoeira, não havia como seguir. O “mapa” indicava a direção, mas andávamos em círculo na floresta criando nossa trilha desviando de árvores, riachos, pedras, cachoeiras…
Finalmente depois de muito andar, escorregar e cair no terreno húmido e embarrado, encontramos a Trilha Juan de Fuca, que cruza a costa oeste da Vancouver Island, andando um pouco por ela, fomos surpreendidos por uma ponte suspensa muito alta no meio do nada!
Finalmente encontramos o que estávamos a buscar!
Ficamos na praia até o anoitecer. Hora de voltar. Noite fechada. Lanternas de cabeça e agora vamos pela trilha oficial (muito mais longa, mas um trilha já estabelecida, com degraus de madeira, pontes feitas de árvores gigantes caídas, cordas presas a algumas pedras para ajudar a subir ou descer algumas partes mais difíceis).Tudo isso a luz de lanterna!
O momento mais crítico foi quando nossas lanternas fizeram refletir na floresta, a uma distância de talvez 30 ou 40 metros, 4 pares de olhos, que brilhavam no escuro com o reflexo de nossas luzes! Pareciam olhos de felinos pelo jeito que brilhavam… Felizmente não fomos atacados, mas foi assustador!
Depois de mais de 2 horas de caminhada na floresta à noite, chegamos na estrada, alguns quilômetros de onde deixamos o carro e a lua quase cheia iluminava a estrada entre a floresta. Não tenho dúvidas que essa foi uma das grandes aventuras de minha vida! Eu sabia que a Caína estaria preocupada, onde estávamos não havia sinal de celular e eu só apareci em casa umas 10 da noite, extremamente cansado, sujo, cheio de arranhões e alguns cortes, mas com um sorriso de orelha a orelha!

É logo ali! É só cruzar a floresta!
Cadê a trilha??
Surpresa no caminho!
Ponte suspensa na Trilha Juan de Fuca
🙂
Um sol pra esquentar um pouco a roupa!
o estadinho das botas e das calças depois de muito barro

Hora de começar a subir!

Surf na Nicaragua de Single Fin? Clique aqui e confere!

 

    3 Responses

  1. Legal a aventura. O que não foi bom foi ter deixado a Caina preocupada contigo. Imagino o pavor dela, sozinha, não sabendo o que tinha acontecido. E passar frio surfando faz parte, né? Continuo achando que devias cortar o cabelo. Bjs 😘😘

    1. Oi Janeee!!Concordo contigo, nada legal me deixar preocupada.. E no caso do cabelo, o mesmo já foi cortado (tava ficando feioso mesmo),agora o Lú está com um corte super estiloso moderno super autentico!! Nas fotinhos mais novas deve aparecer 😉 !!!Saudade de ti!! 😀 Um beijãooo

    2. Ela sabia que eu ia demorar!! Só não imaginava o quanto! KKKK
      Já o frio faz parte da experiência… O cabelo já foi cortado faz tempo, apesar de estar com um “corte” bem incomum kkkkk
      Beijos queridona!!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *